Menu
Busca Sex, 05 de junho de 2020
(47) 99975-9521
Música

Conheça a história do guitarrista blumenauense Mazin Silva

Mazin tocou em vários festivais do Brasil, no Estados Unidos e recentemente na Europa

20 outubro 2019 - 13h00Por Júlia Beatriz

Mazin Silva, guitarrista blumenauense, começou sua história na música desde cedo. Por influência da família, que já tocava em bailes, começou a tocar violão com oito anos de idade. Aos 12 anos veio o amor pela guitarra e a primeira experiência profissional um ano depois, quando tocou em um baile durante toda noite.

O guitarrista sempre buscou se aprimorar na música, tocando em várias bandas na região. Com 20 anos, já era pai e casado, mudando-se para o Paraná, onde teve seu primeiro contato com a música instrumental. “A música instrumental, jazz, sempre me desafiou e me motivou a estudar cada vez mais. Porque as populares é mais de tocar e isso, às vezes, me incomoda. Porque você já sabe fazer muito fácil e eu gosto de desafios. Depois que eu fui pra Cascavel, comecei a ter muito mais contato com esse meio instrumental”, relata.

Mazin Silva
Foto: Marcelo Hasse

Depois do seu contato com a música instrumental, Mazin começou a expandir seus horizontes. Tocou em vários festivais do Brasil, no Estados Unidos e recentemente na Europa. “Sou patrocinado pela maior marca de guitarra do Brasil. Recebo instrumentos deles para representar. Comecei a gravar meus trabalhos também, meus CDs instrumentais. Tenho cinco músicas autorais”, conta.

Fazendo em média de 12 a 15 shows por mês, o guitarrista, além de ter seu trabalho autoral, acompanha várias artistas da região e do Brasil, além de bandas para tocar em shows particulares e pubs, trabalhando em diversos segmentos da música. “Uma dica que eu dou para quem quer seguir na música: primeira coisa, você tem que gostar do que faz. Ame aquilo, faça bem feito, tenha disciplina e não tenha preguiça. Se dedicar, aprimorar, estudar diariamente muitas horas, sem suar não tem vitória. Nós temos que cuidar dos detalhes que são importantes”, aconselha.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esporte
Futebol em Blumenau: perspectivas para uma cidade sem estádios
Cultura
Ayahuasca em SC: difusão de chá amazônico servido em rituais ganha força no Estado
Rede Social
Mães no Instagram: histórias compartilhadas e a criação de uma comunidade
Esporte
Coronavírus: As dificuldades da imprensa esportiva do Vale do Itajaí
Empreendedorismo
Mulheres empreendedoras: conheça histórias inspiradoras de lideranças do Vale do Itajaí
Perfil
Quebrando paradigmas: conheça a história da bombeira militar Carolina
Coronavírus
Jornalismo na Pandemia: o cotidiano dos profissionais da área em SC
Entretenimento
Empreendedorismo em podcast: quem faz o Donas da [email protected]#$% Toda
Podcast
Podcasts para ouvir durante a quarentena
Comércio
Comércio de rua abre as portas com restrições no atendimento