Menu
Busca Qui, 23 de janeiro de 2020
(47) 99975-9521
Mercado de Trabalho

Maternidade encoraja mães a empreender

O empreendedorismo como forma de liberdade e negócio para mães que buscam conciliar renda familiar e maternidade em tempo integral

02 outubro 2019 - 13h30Por Ingrid Leonel

A jornada dupla é árdua, mas essa é uma forma que muitas mães encontram para não deixar seus filhos em creches ou aos cuidados de terceiros dentro de casa. A escolha para não voltar ao mercado de trabalho tradicional para poder participar da criação dos filhos não é fácil, seja por escolha própria ou por necessidade para conciliar a maternidade e renda familiar. Mas os obstáculos valem a pena para essas mulheres quando se trata da liberdade em conseguir estruturar seu próprio horário, proporcionando o que essas mães buscam: estar em casa trabalhando ao lado de seus filhos.

Silvana Shimitt trabalhou por anos em uma empresa têxtil como costureira, quando nasceu seu filho Douglas, hoje com 21 anos, portador da Síndrome de Down. A costureira não conseguia conciliar trabalhar fora e dar os cuidados necessários que seu filho precisava.

“Eu sai e resolvi procurar o que fazer dentro de casa, na área da costura. Comecei com artesanato, fiz um monte de coisas até chegar no que faço atualmente, hoje trabalho com roupa de cama e tenho sacoleiras que vendem para mim”, explica a empreendedora.

Formada em Design de Interiores, Maraysa Albuquerque, após a chegada de sua filha Laura que hoje tem 3 anos, sentiu a necessidade de buscar um trabalho mais flexível, sem os horários padrões de mercado e que também fosse satisfatório para ela.  A transição da descoberta pelo Empreendedorismo Digital se deu ao perceber que ela poderia abrir seu próprio negócio por experiências em sua antiga área.

“Quando a Laura nasceu eu depositei todos meus esforços nela, não queria sair de casa e deixá-la com quatro ou seis meses de idade sendo cuidada por outras pessoas e ir trabalhar no mercado tradicional”, conta a empreendedora, que desde o nascimento de sua filha já tinha medo de optar pela creche, algo que por necessidade acabou acontecendo. “Não passei duas semanas nesse trabalho, acho que foi pior para mim do que para ela, eu tinha esse receio que acabou acontecendo e senti na pele como é ruim ficar longe do seu filho por obrigação. Aquilo não era para mim, então comecei a pesquisar formas de trabalhar em casa para ficar perto da minha filha”, afirma.


Agora, Maraysa tem liberdade para trablhar em casa ao lado da pequena Laura. Foto: Arquivo Pessoal

 

Hoje a empreendedora não se vê em outra área, “99% das coisas que acontecem com Laura eu estou por dentro, estou podendo participar dessa “primeira infância”, participo da educação dela, da construção de caráter. Isso é o que me faz ter a certeza que eu estou no caminho certo, não preciso abrir mão dos momentos com ela para trabalhar fora, essa é a liberdade que eu queria”.

QUIZ

Em paralelo a isso, o empreendedorismo também é algo que para muitos pode ser confuso, no nosso quiz abaixo você pode descobrir se tem esse perfil.

Link para o quiz: QUIZ

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Revista
Vozes: Criando raízes no Brasil
Segurança
Casos de Feminicídio seguem aumentando em Santa Catarina
Saúde
Campanha Dezembro Laranja alerta para o câncer de pele
Entrevista
Desafios de comunicação da ONU
Turismo
Regiões afastadas em Blumenau são novas apostas no turismo
Coletivo
Rede de vizinhos busca melhorar segurança nas ruas e comunidades
Política
Cabem todas as vozes na Câmara?
Coletivo
De onde vêm os nomes das comunidades blumenauenses?
Cidade
Blumenau 2050 renova a esperança de levar a comunidade à Prainha
Agricultura
Vida rural em meio à urbana