Menu
Busca Qua, 19 de fevereiro de 2020
(47) 99975-9521
Comunidade

Movimento Mãos Dadas atua na comunidade do Morro Dona Edith

Projeto voluntário vem crescendo e despertando ainda mais o interesse de moradores

05 dezembro 2019 - 01h18Por Isabella Cremer e Júlia Laurindo

Inspirado pela “Operação Mãos Dadas”, da Polícia Militar de Blumenau, iniciada no mês de agosto, um grupo de moradores da região do Morro Dona Edith começou o "Movimento Mãos Dadas". O projeto voluntário tem o intuito de promover ações de revitalização urbana e desenvolvimento infantil, mobilizando e atraindo os moradores que possuem maior vulnerabilidade econômica e social, para se unirem e ajudar ao próximo e a sua própria comunidade. 

 

Os organizadores do movimento são o policial militar Thiago Montibeller, o advogado Leonardo Busnello e a advogada Bruna Busnello. Eles idealizaram o projeto para cativar mais pessoas a ajudar ao próximo, principalmente nas áreas da região que possuem maior vulnerabilidade econômica e social. "O trabalho do movimento vem para complementar a ação do Estado, promovendo ações de revitalização urbana e desenvolvimento infantil, pois acreditamos que a melhor estratégia para reduzir a violência no médio e longo prazo é investir na educação de base. Por isso, os integrantes do movimento têm preocupação especial com as crianças e jovens”, explica Thiago.

 

Após realizar uma visita técnica no Morro Dona Edith, os organizadores e voluntários do projeto, Milena, José Carlos, Leonardo e Mateus analisaram e listaram, através da observação e ouvindo a população, as principais demandas e necessidades dos moradores da região. Entre os apontamentos estão os entulhos acumulados, os pontos com falta de saneamento básico,  o risco que casas abandonadas e parcialmente demolidas representam, a falta de calçadas e o mato crescendo sobre as vias públicas. 

 

Com base no relatório elaborado após a visita, a equipe já realizou duas ações no local, incluindo limpeza urbana e roçada, além das cobranças às instituições públicas para que resolvessem muitos dos problemas listados. “Estamos acompanhando as ações do poder público na localidade e buscando mais apoio e recursos para continuar realizando melhorias na região”, acrescenta Thiago.

 

Em relação ao desenvolvimento infantil, o plano do grupo é adotar um direcionamento à educação. Com eventos em centros de educação infantil, escolas e igrejas, o movimento pretende conscientizar as crianças e a comunidade quanto à importância dos espaços públicos, de convivência e lazer, além de incentivar os alunos a irem à escola.“É muito gratificante ajudar a tornar nosso mundo um lugar melhor para se viver. Mesmo nas mínimas ações, o sentimento de pertencimento à comunidade e de ajudar ao próximo é maravilhoso”, avalia Thiago.

 

Inspiração 

 

A operação Mãos Dadas, realizada pela Polícia Militar de Blumenau, tem o objetivo de combater o tráfico de drogas e trabalhar na diminuição da criminalidade na região, já que o Morro Dona Edith possui o maior índice criminal da cidade. Busca também ampliar o acesso da comunidade a serviços públicos e reforçar ações sociais, aumentando a qualidade de vida das pessoas que moram na região. 

 

A Operação é apoiada por outros órgãos e instituições do município, como a Celesc (Centrais Elétricas de Santa Catarina), o Deap (Departamento Estadual de Administração Prisional), o Presídio Regional de Blumenau, a Fundação de Esportes Municipal, a Secretaria de Desenvolvimento Social, o Poder Judiciário e a Escola Conselheiro Mafra.

 

A partir dessas parcerias e da presença da polícia, instalada em uma base móvel 24 horas por dia, algumas mudanças já foram registradas na região. De acordo com balanço realizado pela Polícia Militar de Blumenau, desde o início da operação, com um maior policiamento da área do Morro Dona Edith, o número de furtos caiu 12% e o de roubos, 40%. 

 

Os detentos do Presídio Regional de Blumenau realizaram um trabalho de revitalização das ruas, com limpeza, roçada e pintura dos meios-fios. Além disso, outras ações foram implantadas desde que a operação iniciou, como a substituição de lâmpadas queimadas e quebradas dos postes de luz, pela Celesc, e entrega de livros às crianças da comunidade, pelo programa “Patrulha da Leitura”.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Revista
Vozes: Criando raízes no Brasil
Segurança
Casos de Feminicídio seguem aumentando em Santa Catarina
Saúde
Campanha Dezembro Laranja alerta para o câncer de pele
Entrevista
Desafios de comunicação da ONU
Turismo
Regiões afastadas em Blumenau são novas apostas no turismo
Coletivo
Rede de vizinhos busca melhorar segurança nas ruas e comunidades
Política
Cabem todas as vozes na Câmara?
Coletivo
De onde vêm os nomes das comunidades blumenauenses?
Cidade
Blumenau 2050 renova a esperança de levar a comunidade à Prainha
Agricultura
Vida rural em meio à urbana