Menu
Busca Qua, 19 de fevereiro de 2020
(47) 99975-9521
Comunidade

Projeto capacita idosos para atuar em situações de emergência

Participantes aprendem técnicas de primeiros socorros, prevenção e combate a incêndios

05 dezembro 2019 - 01h22Por Giulia Godri e Luana de Oliveira

Os índices que apontam um elevado envelhecimento na população serviram de  motivação para o voluntariado no município de Presidente Getúlio. O projeto Bombeiro da Terceira Idade reúne idosos da cidade e os capacita em temas como o acionamento do serviço de emergências, primeiros socorros, prevenção e combate a incêndio, prevenção a acidentes domésticos, doenças sexualmente transmissíveis e animais peçonhentos. As aulas duram de uma a duas horas e acontecem nas comunidades de Papanduva, Serra dos Índios e São José, a cada 15 dias. 

 

De acordo com projeções do IBGE, a partir de 2031, o Brasil deverá ter mais idosos que jovens. Nesta data, pela primeira vez, o Índice de Envelhecimento será maior do que 100, ou seja, haverá 102,3 idosos para cada 100 jovens. Já os dados nacionais a respeito do suicídio surpreendem ainda mais: no ano de 2017 foi divulgado o primeiro Boletim Epidemiológico de Tentativas e Óbitos por Suicídio no Brasil. O resultado mostra um problema que até então estava sendo ignorado: os idosos com mais de 70 anos registraram uma média de 8,9 mortes por 100 mil nos seis anos anteriores, muito superior à média nacional, que é de 5,5 por 100 mil habitantes.

 

O projeto tem se mostrado eficaz para ocupar o tempo ocioso dos idosos de Presidente Getúlio que, assim como os de outras localidades participantes, passaram a se sentir úteis e a ter uma distração que faz a diferença na rotina e na qualidade de vida deles. “É comum a gente saber de alguns idosos que acabam, com o tempo, ficando mais isolados, até com crise de depressão, e isso foi uma forma de alegrar mais, até porque as aulas são mais práticas. Eles dão risada, conversam, compartilham informações”, afirma o comandante dos Bombeiros Voluntários da cidade, Amarildo Molinari.

 

Agentes de saúde identificaram o problema

 

Tudo começou em 2017, quando duas agentes comunitárias de saúde de Indaial, Malvina Ribeiro e Maria Batista, sentiram a necessidade de proporcionar algo a mais a essas pessoas e criaram o projeto que mais tarde foi chamado de Bombeiro da Terceira Idade. 

 

Segundo Malvina, as agentes de saúde perceberam que os idosos precisavam de orientações básicas sobre temas como acidente doméstico e primeiros socorros. “Quando acontecia alguma coisa eles saíam desesperados pedindo ajuda, não sabiam como agir numa situação de emergência”, explica.

 

Assim que perceberam a necessidade, as agentes de saúde foram até o Corpo de Bombeiros de Indaial e conversaram com o comandante Evandro Vinotti, que na hora aceitou a ideia. Malvina organizou os cronogramas e horários para os bombeiros, que passaram a executar as aulas na Companhia de Habitação do Estado de Santa Catarina (Cohab) de Indaial.  

 

Os idosos que passaram pela formação, além de estarem menos propensos a entrar nas estatísticas de depressão na terceira idade, estão preparados para lidar com situações de emergência. “São bombeiros voluntários mesmo, foi dado um curso com certificado, eles têm a camisa e andam no bairro com a cabeça erguida”, avalia Malvina. 

 

Um exemplo disso é Enalva Maria Andreatta, 74, que soube como agir quando seu marido teve um acidente vascular cerebral (AVC). “Eu fiz o curso, aprendi que a gente tem que ter muita calma. Consegui ligar para os bombeiros, segurando a mão dele e pedindo calma. A gente aprendeu no curso que a pessoa sente e ouve o que a gente tá falando”, conta. “Antes eu ia apenas gritar, me desesperar, e ia esperar que algum vizinho fizesse, porque nem o número dos bombeiros eu sabia”, revela. 

 

Além de ter ajudado a salvar o marido, Enalva também conseguiu manter a calma em outra situação importante, quando um dos seus netos ia fazer um exame. Chegando no hospital, a médica informou que ela e a mãe da criança teriam que ajudar a segurar o menino, pois só tinha uma enfermeira no local, além da médica. A bombeira da Terceira Idade foi elogiada pela profissional ao fim do exame, por sua coragem. 

 

Formatura tradicional a pedido dos idosos

 

Os idosos de Indaial queriam ter a cerimônia de formatura tradicional e assim foi feito. “Com banho de mangueira e tudo, receberam o certificado de Bombeiro da Terceira Idade”, conta Malvina. 

 

E não são apenas os formandos dessa comunidade que queriam o “batismo” tradicional. Em Presidente Getúlio, a formatura acontece no dia 7 de dezembro. Segundo o responsável pelo centro de ensino, Maicon Alexandre Dalpiaz, os formandos estão muito empolgados e também pretendem receber o tradicional banho de mangueira. 

 

Depois de ter usado na prática o que aprendeu na formação, Enalva tem certeza que o curso pode ajudar muitas pessoas. “É muito bom, quem pode deve fazer, é muito proveitoso. A gente pode cair em muitas situações que pode se sair bem, pode ajudar muita gente e até se ajudar. Então, eu acho que esse curso me trouxe muita coisa boa. Se um dia tiver de novo, eu faço de novo pra aprender mais”, completa.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Revista
Vozes: Criando raízes no Brasil
Segurança
Casos de Feminicídio seguem aumentando em Santa Catarina
Saúde
Campanha Dezembro Laranja alerta para o câncer de pele
Entrevista
Desafios de comunicação da ONU
Turismo
Regiões afastadas em Blumenau são novas apostas no turismo
Coletivo
Rede de vizinhos busca melhorar segurança nas ruas e comunidades
Política
Cabem todas as vozes na Câmara?
Coletivo
De onde vêm os nomes das comunidades blumenauenses?
Cidade
Blumenau 2050 renova a esperança de levar a comunidade à Prainha
Agricultura
Vida rural em meio à urbana