Menu
Busca Qua, 12 de agosto de 2020
(47) 99975-9521
Turismo

Regiões afastadas em Blumenau são novas apostas no turismo

Nova Rússia e Vila Itoupava são parte de projeto que prevê investimentos para atrair turistas

06 dezembro 2019 - 21h40Por Bruno Vicentainer
Com a cultura alemã em solo brasileiro como um dos diferenciais, a cidade de Blumenau é conhecida por oferecer as mais diversas opções de lazer. Para além da gastronomia típica, dança, construções em estilo germânico e o bom chopp, o município possui outros destinos, diferentes dos conhecidos até então.
 
O centro da cidade tem pontos bastante frequentados, como a Catedral São Paulo Apóstolo, que recebe visitantes diariamente, e o Parque Vila Germânica, onde acontecem as principais comemorações e festas da cidade, como a Sommerfest, Osterdorf, Magia de Natal e, a mais famosa: a Oktoberfest, a festa mais alemã das Américas, que acontece no mês de outubro. Porém, a concentração de turistas e visitantes pode migrar para outras regiões de Blumenau a partir de novas áreas e destinos.
 
Explorar novas regiões para turismo já está nas ações e planos do município. Segundo a Diretora de Turismo e Promoção de Blumenau, Luisa Borda, as estratégias para potencializar esses novos destinos é melhorar a divulgação e os tornar mais conhecidos pela própria cidade. “Isso é um grande desafio pra gente. Estamos procurando pontuar áreas fortes, onde estarão agências de viagens e, assim, fortalecer Blumenau e a região, mostrando que existem outros lugares que merecem ser conhecidos”, explica.
Visando o fortalecimento destas regiões, a Secretaria de Turismo e Lazer de Blumenau, juntamente com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), está implantando o Plano de Desenvolvimento de Turismo (PDTIS) em dois bairros da cidade.
 
Nova Rússia
 
Localizado na região do Garcia, o bairro possui diversos atrativos para os amantes da natureza. Um dos pontos já conhecidos é o Morro Spizkopf, que tem 938 metros de altitude. O roteiro ainda  conta com o Economuseu Dr. Agobar Fagundes, Parque das Nascentes e Recanto Silvestre. Em março de 2019 foi entregue o Plano de Desenvolvimento do Turismo Integrado da Nova Rússia, em um evento no Recanto Silvestre. O documento apresenta três etapas de atualização, com metas de curto, médio e longo prazo. “As metas sempre serão revistas, claro que algumas propostas podem atrasar, conforme o tempo vai passando, mas a primeira data de revisão está marcada para 2025, na Nova Rússia. Vamos pontuar o que foi feito errado, o que pode ser melhorado”, afirma Luisa Borda. Algumas ações já estão sendo promovidas, de acordo com a Secretaria de Turismo: na Nova Rússia, 50% da meta de internet para o bairro já foi instalada, além de câmeras de segurança e também Guard Rails na beira da estrada para proteção.
 
Apesar do otimismo do órgão público em relação ao PDTIS, alguns moradores veem com desconfiança o projeto. Mario Pavesi, proprietário da pousada Rio da Prata, no interior da Nova Rússia, comenta que já foram feitas propostas para ajudar a potencializar o bairro, porém todas elas não tiveram êxito. “A Nova Rússia tem um potencial enorme, com belezas naturais e história, mas faltam investimentos, tanto do privado quanto do setor público. Vinte anos atrás tentaram implantar um plano de turismo sustentável aqui, mas não teve êxito e o suporte necessário. O PDTIS só funcionará se realmente tiver o apoio dos empresários e também, claro, da gente aqui do bairro”, opina.
 
Vila Itoupava
 

A Vila Itoupava sedia caminhadas e desfiles temáticos, que levam turistas e moradores de outras regiões até a localidade. Foto: Daniel Zimmermann/Divulgação Oktoberfest Blumenau

 

Do outro lado da cidade, na região norte, encontra-se o bairro da Vila Itoupava, um distrito localmente conhecido como “recanto mais alemão da cidade”. Estima-se que mais de 90% dos 7 mil habitantes falam alemão, além de sua arquitetura com construções no estilo Enxaimel.
 
Toda a cultura germânica, passada de geração em geração, faz com que a Vila Itoupava tenha um potencial turístico de extrema importância para Blumenau. “A cultura é o que mais encanta, a história e paixão que os moradores do bairro têm pelas tradições é realmente muito satisfatória. Acredito até que estamos atrasados em não ter investido antes na Vila Itoupava. Apesar do atraso, finalmente vamos poder potencializar o bairro junto com a comunidade”, comenta a Diretora de Turismo e Promoção de Blumenau, Luisa Borda.
 
O processo do PDTIS da Vila Itoupava ainda está em estágio inicial, mas tem 2020 como prazo para o lançamento do documento, seguindo os modelos da Nova Rússia. Para o Intendente Distrital da Vila Itoupava, Leandro Índio, o projeto será de extrema importância para o bairro e, se funcionar, deixará um caminho a ser seguido. “Se o PDTIS seguir a mesma diretriz, ele deixará como legado o primeiro marco documentado no quesito plano de desenvolvimento, mesmo que seja principalmente no turismo, mesmo assim ainda permite que se projete uma estratégia de desenvolvimento baseada no turismo, a interlocução com entes federados e demais entidades, possibilita que exista uma melhor interlocução do desenvolvimento do projeto”, conta. Segundo ele, essa ação permite que a própria comunidade cobre e fiscalize a execução das obras e melhorias para consolidar a Vila Itoupava como um forte destino turístico em Blumenau e região.
 
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Especial
Identidades de Blumenau
Esporte
Blumenau já foi rica em estádios
Desafios
O novo modo de criar conteúdo em tempos de pandemia
Cultura
Participação feminina na cultura cervejeira
Coronavírus
Esporte blumenauense têm dificuldades para arcar com os compromissos
Trânsito
Empoderamento feminino sobre rodas
Coronavírus
Jornalismo na Pandemia: a atuação de jornalistas catarinenses pelo mundo
Mulheres na política
Catarinenses ainda têm baixa representatividade e apoio político
Esporte
Futebol em Blumenau: perspectivas para uma cidade sem estádios
Cultura
Ayahuasca em SC: difusão de chá amazônico servido em rituais ganha força no Estado