Menu
Busca Qua, 19 de fevereiro de 2020
(47) 99975-9521
Turismo

Regiões afastadas em Blumenau são novas apostas no turismo

Nova Rússia e Vila Itoupava são parte de projeto que prevê investimentos para atrair turistas

06 dezembro 2019 - 21h40Por Bruno Vicentainer
Com a cultura alemã em solo brasileiro como um dos diferenciais, a cidade de Blumenau é conhecida por oferecer as mais diversas opções de lazer. Para além da gastronomia típica, dança, construções em estilo germânico e o bom chopp, o município possui outros destinos, diferentes dos conhecidos até então.
 
O centro da cidade tem pontos bastante frequentados, como a Catedral São Paulo Apóstolo, que recebe visitantes diariamente, e o Parque Vila Germânica, onde acontecem as principais comemorações e festas da cidade, como a Sommerfest, Osterdorf, Magia de Natal e, a mais famosa: a Oktoberfest, a festa mais alemã das Américas, que acontece no mês de outubro. Porém, a concentração de turistas e visitantes pode migrar para outras regiões de Blumenau a partir de novas áreas e destinos.
 
Explorar novas regiões para turismo já está nas ações e planos do município. Segundo a Diretora de Turismo e Promoção de Blumenau, Luisa Borda, as estratégias para potencializar esses novos destinos é melhorar a divulgação e os tornar mais conhecidos pela própria cidade. “Isso é um grande desafio pra gente. Estamos procurando pontuar áreas fortes, onde estarão agências de viagens e, assim, fortalecer Blumenau e a região, mostrando que existem outros lugares que merecem ser conhecidos”, explica.
Visando o fortalecimento destas regiões, a Secretaria de Turismo e Lazer de Blumenau, juntamente com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), está implantando o Plano de Desenvolvimento de Turismo (PDTIS) em dois bairros da cidade.
 
Nova Rússia
 
Localizado na região do Garcia, o bairro possui diversos atrativos para os amantes da natureza. Um dos pontos já conhecidos é o Morro Spizkopf, que tem 938 metros de altitude. O roteiro ainda  conta com o Economuseu Dr. Agobar Fagundes, Parque das Nascentes e Recanto Silvestre. Em março de 2019 foi entregue o Plano de Desenvolvimento do Turismo Integrado da Nova Rússia, em um evento no Recanto Silvestre. O documento apresenta três etapas de atualização, com metas de curto, médio e longo prazo. “As metas sempre serão revistas, claro que algumas propostas podem atrasar, conforme o tempo vai passando, mas a primeira data de revisão está marcada para 2025, na Nova Rússia. Vamos pontuar o que foi feito errado, o que pode ser melhorado”, afirma Luisa Borda. Algumas ações já estão sendo promovidas, de acordo com a Secretaria de Turismo: na Nova Rússia, 50% da meta de internet para o bairro já foi instalada, além de câmeras de segurança e também Guard Rails na beira da estrada para proteção.
 
Apesar do otimismo do órgão público em relação ao PDTIS, alguns moradores veem com desconfiança o projeto. Mario Pavesi, proprietário da pousada Rio da Prata, no interior da Nova Rússia, comenta que já foram feitas propostas para ajudar a potencializar o bairro, porém todas elas não tiveram êxito. “A Nova Rússia tem um potencial enorme, com belezas naturais e história, mas faltam investimentos, tanto do privado quanto do setor público. Vinte anos atrás tentaram implantar um plano de turismo sustentável aqui, mas não teve êxito e o suporte necessário. O PDTIS só funcionará se realmente tiver o apoio dos empresários e também, claro, da gente aqui do bairro”, opina.
 
Vila Itoupava
 

A Vila Itoupava sedia caminhadas e desfiles temáticos, que levam turistas e moradores de outras regiões até a localidade. Foto: Daniel Zimmermann/Divulgação Oktoberfest Blumenau

 

Do outro lado da cidade, na região norte, encontra-se o bairro da Vila Itoupava, um distrito localmente conhecido como “recanto mais alemão da cidade”. Estima-se que mais de 90% dos 7 mil habitantes falam alemão, além de sua arquitetura com construções no estilo Enxaimel.
 
Toda a cultura germânica, passada de geração em geração, faz com que a Vila Itoupava tenha um potencial turístico de extrema importância para Blumenau. “A cultura é o que mais encanta, a história e paixão que os moradores do bairro têm pelas tradições é realmente muito satisfatória. Acredito até que estamos atrasados em não ter investido antes na Vila Itoupava. Apesar do atraso, finalmente vamos poder potencializar o bairro junto com a comunidade”, comenta a Diretora de Turismo e Promoção de Blumenau, Luisa Borda.
 
O processo do PDTIS da Vila Itoupava ainda está em estágio inicial, mas tem 2020 como prazo para o lançamento do documento, seguindo os modelos da Nova Rússia. Para o Intendente Distrital da Vila Itoupava, Leandro Índio, o projeto será de extrema importância para o bairro e, se funcionar, deixará um caminho a ser seguido. “Se o PDTIS seguir a mesma diretriz, ele deixará como legado o primeiro marco documentado no quesito plano de desenvolvimento, mesmo que seja principalmente no turismo, mesmo assim ainda permite que se projete uma estratégia de desenvolvimento baseada no turismo, a interlocução com entes federados e demais entidades, possibilita que exista uma melhor interlocução do desenvolvimento do projeto”, conta. Segundo ele, essa ação permite que a própria comunidade cobre e fiscalize a execução das obras e melhorias para consolidar a Vila Itoupava como um forte destino turístico em Blumenau e região.
 
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Revista
Vozes: Criando raízes no Brasil
Segurança
Casos de Feminicídio seguem aumentando em Santa Catarina
Saúde
Campanha Dezembro Laranja alerta para o câncer de pele
Entrevista
Desafios de comunicação da ONU
Coletivo
Rede de vizinhos busca melhorar segurança nas ruas e comunidades
Política
Cabem todas as vozes na Câmara?
Coletivo
De onde vêm os nomes das comunidades blumenauenses?
Cidade
Blumenau 2050 renova a esperança de levar a comunidade à Prainha
Agricultura
Vida rural em meio à urbana
Religiosidade
União e religiosidade para começar de novo