Menu
Busca Qua, 19 de fevereiro de 2020
(47) 99975-9521
Inovação

Tecnologia em favor da vida

Aplicativo de celular gratuito, inspirado pelo Tinder, conecta pessoas que precisam de doações de sangue

05 dezembro 2019 - 19h10Por Matheus Martins

Foi por meio da tecnologia que Brayon Pieske, de 25 anos, morador de Rodeio, encontrou uma maneira alternativa de ajudar pessoas que precisam de doações de sangue. O estudante de marketing lançou, neste ano, o aplicativo para celular “PiuPiu Life”, que encontra doadores em um raio de 50 a 150 quilômetros, usando a localização dos usuários cadastrados. 

A ideia, segundo Pieske, surgiu após ouvir na rádio inúmeros pedidos de doação de sangue. “Algo precisava ser feito, pois são dias ou semanas de espera até achar um doador. Querendo mudar essa situação, desenvolvi o aplicativo nas minhas horas livres, folgas e finais de semana. Demorei cerca de seis meses para terminar”, conta. 

Inspirado pelo Tinder, aplicativo de localização de pessoas para encontros românticos, o “PiuPiu Life” foi lançado no início do mês de julho e já conta com mais de 1.800 usuários.  Atualmente, o software está disponível para download gratuito na Play Store, somente em aparelhos com sistema Android. Porém, os planos do idealizador são de expandir a acessibilidade do aplicativo para todas as plataformas. Para isso, ele desenvolveu uma campanha de arrecadação virtual, que terá o dinheiro investido em divulgações, adição de novas funções, como outros idiomas, além do português, inglês e hindi, e assessorias. 

Primeiro aplicativo que presta o serviço, facilitando as doações ao conectar pessoas que podem doar às que precisam, o “PiuPiu Life” tem esse nome curioso por conta de uma expressão que o estudante escutava na infância. “Sabe quando você é pequeno e alguém diz assim: 'não quero escutar mais nenhum piu'? Foi a partir disso que veio o 'PiuPiu'. O 'Life' foi por seu significado, o de 'vida'. É a manifestação à vida”, explica Pieske. 

Além da inovação, a praticidade do serviço tem chamado a atenção dos usuários. A designer de interiores Dayana Schulz destaca como foi fácil fazer o cadastro e contribuir. “Achei muito interessante a iniciativa. Nos dias de hoje, temos aplicativos para tudo, mas não conheço nenhum outro, que seja da região, direcionado à saúde e que me possibilite salvar uma vida”, comenta. 

Pensando no futuro, Brayon não quer parar por aí e pretende continuar aprimorando o aplicativo e aumentando a sua base de dados ao redor do mundo, com o objetivo de que cada vez mais pessoas possam ser beneficiadas, pois, para ele, a contribuição que o aplicativo traz é indescritível. “Saber que a sua ideia pode salvar vidas é muito gratificante. Uma sensação que não tenho como descrever”, conta. 

Para utilizar o serviço, basta acessar a Play Store, buscar por “PiuPiu Life”, preencher os dados, como nome, idade, email e telefone, tipo sanguíneo, e aguardar um chamado.

Outras iniciativas

Há um ano, o Facebook lançou um recurso que incentiva os usuários a doarem sangue regularmente. A partir da ativação on-line da ferramenta, o usuário da rede social receberá alertas de quando os bancos de sangue mais próximos precisam de doações. 

Para se cadastrar, basta acessar facebook.com/donateblood, com o perfil logado, preencher os dados (como tipo sanguíneo, informar se já doou sangue) e escolher se quer deixar a informação em sigilo, disponível somente para hemocentros, ou compartilhar o cadastro com amigos da rede. 

Índices de doações

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, 16 a cada mil habitantes são doadores de sangue no país, o que corresponde a um percentual de 1,6% da população brasileira. Os homens são os que mais doam. Em 2017, eles correspondiam a 62% do total de doadores e as mulheres representavam 38%.

Por mais que as taxas de doação de sangue apresentem-se estáveis, nos últimos anos o Brasil tem apresentado um percentual de doações menor que países como Estados Unidos, que possui taxas de 5% a 7%, enquanto o Brasil tem apenas 1,8%. 

O Estado de Santa Catarina, por sua vez, detém um dos maiores índices de doações espontâneas do Brasil, aquelas feitas sem vínculo com paciente específico ou hospital. São mais de 80% do total de sangue doado, de acordo com informações divulgados pelo Governo do Estado , em 2018. 

O Centro de Hematologia e Hemoterapia de Santa Catarina (Hemosc) possui unidades nas cidades de Blumenau, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Jaraguá do Sul, Joaçaba, Joinville, Lages e Tubarão. 

Para doar

É necessário ter idade entre 18 e 69 anos, peso superior a 50 quilos, estar em boas condições de saúde, sem feridas ou machucados no corpo e ter repousado na noite anterior à doação. Não é necessário jejum, o aconselhado são refeições leves, sem muita gordura, nas quatro horas que antecedem a doação, assim como evitar o uso de bebidas de teor alcoólico nas últimas 12 horas. 

É indispensável apresentar o documento de identidade com foto, emitido por órgão oficial: RG, carteira profissional, carteira de motorista, entre outros. 
Para mais informações, acesse: www.hemosc.org.br.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Revista
Vozes: Criando raízes no Brasil
Segurança
Casos de Feminicídio seguem aumentando em Santa Catarina
Saúde
Campanha Dezembro Laranja alerta para o câncer de pele
Entrevista
Desafios de comunicação da ONU
Turismo
Regiões afastadas em Blumenau são novas apostas no turismo
Coletivo
Rede de vizinhos busca melhorar segurança nas ruas e comunidades
Política
Cabem todas as vozes na Câmara?
Coletivo
De onde vêm os nomes das comunidades blumenauenses?
Cidade
Blumenau 2050 renova a esperança de levar a comunidade à Prainha
Agricultura
Vida rural em meio à urbana